Pequenos Olhares e Mirada Paranaense

No 8º Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba, duas mostras já tradicionais reforçam a identidade do festival e destacam um de seu maiores objetivos: fazer com que a produção audiovisual alcance cada vez mais pessoas. As mostras Pequenos Olhares e Mirada Paranaense estão nos dois lados da promoção desse alcance.

A Pequenos Olhares preocupa-se com a formação de público, trazendo filmes que dialoguem com os pequenos e os adolescentes, em programas selecionados para cada faixa de idade. Além de possibilitar a vivência de um festival de cinema, faz com que os títulos cheguem a um público que dificilmente teria acesso a eles se dependesse do circuito comercial.

Nesta oitava edição, a Pequenos Olhares apresenta o longa-metragem “Um Filme de Verão”, dirigido por Jô Serfaty, sobre o cotidiano de um grupo de jovens em uma comunidade do Rio de Janeiro. O filme foi destaque na última Mostra de Tiradentes, onde levou o prêmio de melhor montagem pelo trabalho de Cristina Amaral.

Onze curtas-metragens, divididos em três programas, completam a seleção. Para os pequenos, o programa faz um tour internacional com o espanhol “Mosca Seca”, o suíço “Circuito”, o belga “Marionete” e o brasileiro “Lily’s Hair” e fala de identificação e ambiente de maneira lúdica e acessível. O programa para toda a família traz os filmes “Kids”, “Vivi Lobo e o Quarto Mágico”, “O Malabarista” e “O Grande Amor de um Lobo”, que falam de experiências pessoais e do viver em sociedade. O programa para os jovens volta aos assuntos, mas aborda de forma mais aprofundada e amplificada outras de questões e situações com os filmes “Alma”, “Impermeável Pavio Curto” e “Negrum3”, os dois últimos premiados em festivais brasileiros.

A Mirada Paranaense chega completando o ciclo ao fazer com que os títulos produzidos no estado do Paraná sejam conhecidos pelo público paranaense. A mostra demonstra toda a diversidade e pluralidade desta produção em uma seleção de nove filmes. O longa-metragem “Pinhão”, que fala de uma realidade muito própria de Curitiba, onde a economia encontrou uma nova moeda.

A seleção se completa com os curtas “Aquele Casal”, “Criativa(Mente) Destoante”, “Mirror Mirror On The Wall”, “Fronteiras/Guaíra”, “Apneia”, “Essa Terra Não Vai Terminar”, “Maldita” e “Bicha-Bomba”, numa mistura de temas, abordagens e linguagens, divididos em dois programas.

Confira a lista de filmes por mostra:

Pequenos Olhares

Alma (dir. Santiago León Cuéllar, Colômbia, 17 min)
Circuito (dir. Delia Hess, Suíça, 9 min)
Impermeável Pavio Curto (dir. Higor Gomes, Brasil, 21 min)
Kids (dir. Michael Frei, Suíça, 9 min)
Lily’s Hair (dir. Raphael Gustavo da Silva, Brasil, 15 min)
Marionete (Patin, dir. Thimotée Crabbé, Bélgica, 6 min)
Mosca Seca (Dry Fly, dir. Rut Juan, Espanha, 5 min)
NEGRUM3 (dir. Diego Paulino, Brasil, 22 min)
O Grande Amor de um Lobo (dir. Kennel Rogis, Brasil, 12 min)
O Malabarista (dir. Iuri Moreno, Brasil, 11 min)
Um Filme de verão (dir. Jô Serfaty, Brasil, 94 min)
Vivi Lobo e o Quarto Mágico (dir. Isabelle Santos/Edu MZ Camargo, Brasil, 13 min)

Mirada Paranaense

Apneia (dir. Carol Sakura/Walkir Fernandes, Brasil, 14 min)
Aquele Casal (dir. William de Oliveira, Brasil, 22 min)
Bicha-Bomba (dir. Renan de Cillo, Brasil, 8 min)
Criativa(mente) Destoante (dir. Natacha Oleinik, Brasil, 17 min)
Essa Terra Não Vai Terminar (dir. Matias Dala Stella, Brasil, 32 min)
Fronteiras/Guaíra (dir. Juliana Sanson, Brasil, 26 min)
Maldita (dir. Laysa Machado, Brasil, 4 min)
Mirror Mirror On The Wall (dir. Igor Urban, Brasil, 7 min)
Pinhão (dir. Andréia Kaláboa, 52 min)