Oficina

Oficina: Olhares para Curtas Brasileiros Contemporâneos

10/10/20 - sábado | 9:30

DATAS

10 e 11 de outubro de 09h30-12h30 online

SOBRE ESTA OFICINA

Tendo como ponto de partida as transformações ocorridas no cenário audiovisual brasileiro ao longo do século XXI, particularmente nos últimos dez anos, pretende-se debater as reverberações estéticas decorrentes de questões como o barateamento trazido pelas tecnologias digitais, o grande aumento do número de cursos de audiovisual, a descentralização geográfica da produção e a maior visibilidade de filmes produzidos por grupos contra-hegemônicos (mulheres, negros, LGBTs, indígenas). Para isso, o curso propõe análises de (e relações entre) curtas brasileiros contemporâneos, propondo como recorte dois blocos conceituais (O que pode o digital? e Retratos de Classe).

Aula 1 – O que pode o digital?

Nesta aula, após uma introdução ao contexto do curta-metragismo brasileiro contemporâneo, abordaremos filmes que levantem questionamentos a respeito da criação de imagens e de imaginários e/ou que desloquem lugares preestabelecidos do dito “cinema autoral”.

Aula 2 – Retratos de Classe

Nesta aula vamos nos atentar a filmes que têm fotografias como ponto de partida. A ideia é falar do retrato em suas múltiplas possibilidades: disparador de memórias, evocador de apagamentos, perpetuador de existências, guardião de narrativas hegemônicas que precisam ser subvertidas.

 

Palestrante

Adriano Garrett

Adriano Garrett é jornalista, crítico e pesquisador de cinema. Mestre em Comunicação Audiovisual pela Universidade Anhembi Morumbi, com dissertação sobre curadoria em festivais de cinema brasileiros contemporâneos. Idealizador e editor do site Cine Festivais, que oferece um olhar diferenciado sobre o cinema independente contemporâneo. Membro da Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine), com textos publicados em três livros organizados pela entidade.