Sinopse

Construído a partir de depoimentos de pessoas que vivenciam a alteração genética nas células do sangue – conhecida como doença falciforme -, o documentário de Dê Kelm e Débora Evellyn Olimpio retrata as experiências de pessoas negras que a possuem, vivenciando os percalços que a doença, em conjunção com o racismo, impõe. (K. M)

Este filme pertence ao PGM 06 | Mirada Paranaense e ao comprar você também tem acesso aos curtas: Cancha – Domingo é Dia de Jogo, E no Rumo do meu Sangue, Exumação da Arte, Napo

Trailer

Vídeos

Direção

Dê Kelm, Débora Evellyn Olimpio

Dê Kelm, 33, estudou direção na EICTV, em Cuba. Dirigiu 13 curtas, entre documentários e ficções, que foram premiados e exibidos em diversos festivais como: IDFA (Holanda), GIFF (México), FICCI (Colombia), Festival Internacional de Curtas Kinoforum, Mostra de Tiradentes e Festival Latino Americano de São Paulo. Em 2020 estreou seu primeiro longa. Débora Evellyn Olimpio, especialista em Educação no Campo e Agroecologia trabalha em projetos que dialogam com o bem-viver da população negra.

Créditos

Produção

Jade Azevedo

Roteiro

Dê Kelm, Débora Evellyn Olimpio, Everlane Moraes

Direção de Fotografia

Flávio Rebouças, Giorgia Prates

Montagem

Aristeu Araujo

Som

Tulio Borges, Luiz Lepchak

Direção de Arte

Bea Gerolim