Sinopse

O último longa-metragem dirigido por uma das maiores cineastas do Brasil tem como ponto de partida um livro de 2015 sobre faquirismo, uma arte da fome cujos intérpretes mais famosos chegavam a ficar 100 dias em jejum. O trabalho de Ignez mescla material de arquivo das décadas de 1920 a 1950 com cenas documentais e teatrais contemporâneas para explorar uma prática raramente exercida hoje em dia, mas que já atraiu multidões em países como França e Brasil. O filme destaca algumas das mais icônicas mulheres faquires, cujas identidades enquanto artistas e mulheres lhes causaram uma dupla perseguição. (A. C)

Vídeos

Direção

Helena Ignez

Com mais de 60 anos de produção nos vários campos das artes, Helena Ignez já foi homenageada na Ásia e na Europa, como no 20º Fribourg Film Festival, Suíça, com a Mostra La Femme du Bandit, no 17º Festival of Kerala, Índia e foi homenageada pelo Grande Prêmio do Cinema Brasileiro. Ela dirigiu os longas Canção de Baal, Luz nas Trevas - A Volta do Bandido da Luz Vermelha, Feio, Eu?, Ralé exibido no 34º Filmfest Munchen e A Moça do Calendário, roteiro original de Rogério Sganzerla.

Créditos

Produção

Sinai Sganzerla

Roteiro

Helena Ignez

Elenco

Maura Ferreira, Indiany, Índia Rubla, Lion on a diet shibari

Direção de Fotografia

Toni Nogueira

Montagem

Sergio Gag

Som

Raul Costa Duarte, Sergio Gag, Magí Batalla

Direção de Arte

Helena Ignez

Festivais

9º CineFantasy
14º Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo
XV Panorama Internacional Coisa de Cinema
52º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro