Seminário de Cinema de Curitiba

Com foco na reflexão sobre a linguagem cinematográfica e diálogos da expressão dessa linguagem com a sociedade, o Seminário de Cinema de Curitiba tem entrada gratuita e não necessita de inscrição prévia. Sujeito a lotação da sala.

Curadoria e programação

10/06 SEX 14:00
Shopping Novo Batel (Teatro João Luiz Fiani)

O papel do programador de filmes em festivais e mostras: a legitimação de tendências estéticas e busca por novas linguagens. As diferentes metodologias de trabalho e a relação com o mercado cinematográfico.

Gustavo Beck

Gustavo Beck é Programador do Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba, Brasil. Atua também como membro do Comitê de Seleção do Cinéma du Réel na França, e do IndieLisboa em Portugal, além de ser Consultor para a América Latina do International Film Festival Rotterdam na Holanda.

Dennis Lim

Dennis Lim é o diretor de programação da Film Society of Lincoln Center. Ele escreveu para diversas publicações, incluindo o The New York Times, Artforum, Cinema Scope, e The Village Voice. Ele é também o autor da biografia crítica David Lynch: The Man From Another Place (2015). Lecionou em Harvard, na Universidade de Nova York, e na New School.

Mulheres no cinema

11/06 SAB 14:00
Shopping Novo Batel (Teatro João Luiz Fiani)

A participação de mulheres no cinema: como conquistar espaço, em um meio majoritariamente de participação masculina, para protagonizar a construção de novos discursos cinematográficos? As implicações do baixo número de mulheres realizando, programando, exibindo e produzindo material crítico sobre filmes.

Marisa Merlo | mediadora

Graduada em cinema, é sócia desde 2007 da empresa Grafo Audiovisual, onde é produtora executiva dos projetos da casa. Atuou como diretora artística, produtora executiva e programadora das quatro primeiras edições do Olhar de cinema - Festival Internacional de Curitiba, onde atualmente assina a direção e produção executiva.

Larissa Figueiredo

Larissa Figueiredo nasceu em Brasília. Estudou Letras na UnB; Teoria do Cinema na França e Artes Visuais/Cinema na Suíça, onde teve aulas com artistas como Miguel Gomes, Albert Serra e Apichatpong Weerasethakul. ‘O touro’, seu primeiro longa-metragem, recebeu o prêmio do Visions Sud Est Fund, foi exibido como work-in-progress na Carte Blanche do 67º Festival Internacional de Cinema de Locarno e teve sua estréia mundial no 44º Festival Internacional de Cinema de Roterdã. Larissa se dedica atualmente ao desenvolvimento de seu segundo longa-metragem, ‘Agontimé’, que será filmado entre o Brasil e o Benim, na África.

Jessica Candal

Jessica Candal é Bacharel em Audiovisual e especialista em Poéticas Visuais. Como diretora, realizou os curtas ‘Teia’, ‘O espelho de AnA’ e ‘Bárbara na cidade’. Na área de curadoria, foi responsável pelo ‘Reflexos de AnA – Mostra de Documentários de Mulheres’; e, nos dois últimos anos, atua na curadoria dos curtas-metragens do Olhar de Cinema. Como roteirista, está desenvolvendo o longa-metragem ‘Êxtimo’, pelo Núcleo Criativo Acere, e seu primeiro roteiro de longa, ‘Horizonte’, está em fase de captação.

Flávia Guerra

Flávia Guerra é documentarista e jornalista. É editora do TelaTela (www.telatela.com.br) e colunista de cinema Arte 1 e da TV Bandeirantes. Formada em Jornalismo pela ECA, tem mestrado em Direção de Documentários pela University of London. Foi assistente de direção de ‘O caminhão do meu pai’ (pré- finalista ao Oscar 2015, de Maurício Osaki), dirigiu ‘Karl Max Way’ (rodado em Londres e premiado no É Tudo Verdade); roteirizou e narrou a série ‘Brasil visto do céu’, da Gullane Filmes.

Anette Dujisin

Com uma trajetória em História Contemporânea, Anette começou a trabalhar como assistente de direção para o cineasta independente italiano Corso Salani, uma colaboração que durou quase 10 anos. Em seguida, ela atuou em festivais de cinema. Ela é programadora da Semana de Críticos de Cinema da Internacional de Veneza, coordenadora de eventos para o fórum de co-produção When East Meest West no Trieste Film Festival e programadora na Festa do Cinema Italiano em países Lusófonos.

Cultura na era do golpe

12/06 DOM 14:00
Shopping Novo Batel (Teatro João Luiz Fiani)

Em meio ao golpe parlamentar da residente Dilma Rousseff em curso, o presidente interino Michel Temer, em seu primeiro dia de governo, extinguiu o Ministério da Cultura, criado em 1985. Quais os avanços do setor cultural na sociedade Brasileira desde a criação do ministério? Quais as consequências sociais, culturais e econômicas de sua extinção?

Juca Ferreira

Juca Ferreira é sociólogo com trajetória profissional dedicada à vida política e às ações culturais e ambientais. Foi vereador e Sec. do Meio Ambiente de Salvador e vice-presidente da Fundação OndAzul. Em 2003 assumiu a Secretaria Executiva na gestão de Gilberto Gil no Ministério da Cultura e, em 2008, foi convidado pelo então presidente Lula, a assumir o cargo de Ministro da Cultura. Durante os anos de 2011 e 2012 esteve embaixador especial na Secretaria Geral Ibero-Americana, coordenando do Ano Internacional dos Afrodescendentes. Foi Secretário de Cultura do Município de São Paulo entre 2013 e 2014, retornando ao cargo do Ministro da Cultura em 2015 no segundo mandato da presidente Dilma Rousseff.

Eduardo Valente

Assessor internacional na ANCINE entre 2011 e 2016, é formado em cinema pela UFF, com mestrado na USP. Cineasta, crítico e curador de festivais de cinema. Dirigiu três curtas e um longa, todos exibidos em diferentes mostras do Festival de Cannes; foi editor das revistas virtuais Contracampo e Cinética; e fundador da Semana dos Realizadores.

Aly Muritiba | mediador

Aly Muritiba é graduado em História pela USP e especialista em Comunicação e Cultura pela UTFPR. Roteirista, produtor e diretor cinematográfico, já dirigiu 9 curtas-metragens, um documentário de longa-metragem e um longa-metragem de ficção, com os quais já conquistou mais de 150 prêmios em festivais de cinema. Além de realizador, Aly Muritiba é diretor e produtor do Olhar de Cinema - Festival Internacional de Curitiba.

Conversas sobre Person

12/06 DOM 16:30
Shopping Novo Batel (Teatro João Luiz Fiani)

Debate sobre a obra do cineasta da Luiz Sérgio Person: sua relação pessoal com temas recorrentes, questões de autoria, relação com o cinema novo, a divergência entre o cinema novo (carioca) e o cinema paulista e outras histórias.

William Biagioli | mediador

Produtor, roteirista e diretor residente em Curitiba, Paraná. Possui graduação em Publicidade com ênfase em criação pelo Mackenzie-SP e especialização em cinema pela FAP-PR. Está desde a primeira edição na equipe do Olhar de Cinema onde fez a produção e a curadoria das retrospectivas de Stanley Kubrick, Jacques Tati e de Luiz Sergio Person, além das curadorias da mostra Olhares Clássicos. Desde 14 de novembro de 2014 é pai do Santiago.

Regina Jehá

Regina Jehá iniciou sua carreira na Universidade de São Paulo onde estudou Cinema e Ciências Sociais. Seus primeiros filmes centram-se na questão da imigração italiana na cidade de São Paulo mas em seguida a cineasta dedica-se `a questão indígena e ambiental. Seus documentários realizados na região amazônica e no Pantanal do Mato Grosso receberam inúmeros prêmios no Brasil e participaram de importantes festivais internacionais como Berlim, Nyon, Oberhausen e Clermont-Ferrand entre outros. Atualmente Regina está lançando seu documentário ‘Henry Kayath, o homem e seu tempo’ e produzindo um filme sobre o artista plástico, escultor e fotógrafo Frans Krajcberg.

Paulo Camargo

Paulo Camargo é jornalista formado pela Universidade Federal do Paraná – UFPR (1990), mestre em Teoria e Estética do Audiovisual (Universidade de Miami, 2002), onde foi bolsista da Comissão Fulbright, e professor dos cursos de Jornalismo da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) e do Centro Universitário UniBrasil. Também leciona em cursos de pós-graduação da PUCPR. É editor e fundador do portal de jornalismo cultural A Escotilha. Foi editor de Cultura, crítico de cinema e repórter especial do jornal Gazeta do Povo (PR), diário no qual atuou entre 1996 e 2014. É integrante da Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine).

Marina Person

Diretora, apresentadora e atriz, Marina Person é formada em cinema pela ECA- USP. Dirigiu os longas-metragens ‘Person’ (2007, documentário) e ‘Califórnia’ (2015, ficção). Na televisão, trabalhou por 18 anos na MTV Brasil. Também apresentou os programas Metrópolis, na TV Cultura e O Papel da Vida, no Canal Brasil. Hoje apresenta Cinedrops na Rádio Eldorado e Marinando no YouTube. Ao lado de João Miguel é protagonista de ‘Cancão da volta’, longa-metragem dirigido por Gustavo Rosa de Moura, com lançamento previsto para o final de 2016.

Domingas Person

Domingas Person é atriz e apresentadora. Trabalha em televisão há mais de 10 anos, foi apresentadora, repórter e locutora dos canais Telecine, Multishow, Canal Brasil, Tv Cultura e TVA, com destaque para programas sobre cinema e música. Escreveu sobre cinema para publicações como Istoé Gente e Jornal Valor Econômico. Atualmente é a comentadora oficial dos eventos do canal TNT, tais como Oscar, Grammy e Globo de Ouro.

Masterclass Matías Piñeiro

12/06 DOM 21:00
Shopping Crystal (Espaço Itaú de Cinema)

Discussão sobre a obra do jovem cineasta argentino Matías Piñeiro: quais suas influências estéticas e temáticas, quais seus processos de criação. Além de trechos do seus filmes já finalizados, o realizador exibirá trechos do seu mais recente trabalho, ainda em fase de finalização, o longa-metragem ‘Hermia & Helena’.

Matías Piñeiro

Nascido em 1982, em Buenos Aires, Argentina. Ele estudou na Universidad del Cine, onde lecionou Cinema e História do Cinema. Oscilando entre Nova York e Buenos Aires, ele está editando a quarta parte de seu projeto Shakespeariano ‘Hermia & Helena’.

Gustavo Beck

Gustavo Beck é Programador do Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba, Brasil. Atua também como membro do Comitê de Seleção do Cinéma du Réel na França e do IndieLisboa em Portugal, além de ser Consultor para a América Latina do International Film Festival Rotterdam na Holanda.

Crítica e curadoria

13/06 SEG 14:00
Shopping Novo Batel (Teatro João Luiz Fiani)

A relação entre a crítica e a curadoria na construção do pensamento cinematográfico. Quais as convergências e divergências entre curadores e programadores a respeito do cinema contemporâneo? Em meio a conflito de interesses, como evitar que uma das partes fique subjugada a outra?

Roger Koza | mediador

Membro da FIPRESCI, trabalha como crítico de cinema no jornal de Córdoba La Voz del Interior; ele regularmente escreve sobre cinema nas revistas Quid e Ñ e no seu blog Ojos abiertos no site Otroscines. Ele atualmente apresenta e dirige o programa de TV El cinematógrafo. Desde 2006 ele atua como programador no Festival Internacional de Cinema de Hamburgo (Alemanha); e desde 2011 atua como programador para o FICUNAM (México).

Luiz Zanin

Luiz Zanin (Luiz Fernando Zanin Oricchio, São Paulo, 1950) é crítico de cinema, repórter especial de cultura e colunista do jornal O Estado de S. Paulo. De 2000 a 2009 foi editor do suplemento Cultura, do Estadão. Autor dos livros Cinema de Novo – Um Balanço Crítico da Retomada, pela Editora Estação Liberdade (2003) Guilherme de Almeida Prado - um Cineasta Cinéfilo (Imprensa Oficial, 2005) e Fome de Bola – Futebol e Cinema no Brasil (Imprensa Oficial, 2006).

John Campos Gómez

Cinéfilo peruano. Como programador independente, realiza ciclos especializados em centros culturais e universidades do Peru bem como em festivais internacionais, tais como BAFICI (Argentina), Radical (Bolívia), FICValdivia (Chile). Ele também escreve sobre cinema no site argentino OtrosCines.com, edita o blog OtrosCines/Peru e é colunista da revista Cinéfilo (Córdoba, Argentina). Atua também como programador do FICValdivia (Chile) e diretor do Transcinema, Festival Internacional de Cinema do (Perú).

Cecilia Barrionuevo

Desde 2010 até o presente, ela tem atuado como programadora do Festival Internacional de Cinema Mar de Plata. Tem colaborado como programadora convidada para outros festivais de cinema e museus. É coeditora da publicação Las Naves Cine. Tem colaborado como escritora em diversas publicações culturais, participou em discussões em mesas redondas e como jurada em festivais de cinema internacionais. Tem um mestrado em Direção Criativa de Documentário. Em 2013, foi bolsista na Flaherty Film Seminar NY.

Jovens atores – Atores não profissionais / não atores

14/06 TER 14:00
Shopping Novo Batel (Teatro João Luiz Fiani)

Os desafios e prazeres da criação a partir do trabalho com elenco jovem e/ou não profissional. Estudo de caso do filme ‘A cidade do futuro’ (de Cláudio Marques e Marília Hughes) e da série ‘Nóis por nóis’ (de Aly Muritiba e Jandir Santin), ambos na presença dos elencos formados por jovens atores e atores não profissionais.

Milla Suzart

Atuante no grupo teatral Amadores da Arte, desde 2013, em cartaz com o espetáculo: poemas cantos e encantos. Participou curso de teatro projeto de qualificação no interior da Bahia, Secultcidade em 2014. Em 2015 participou da oficina Cinema e video (por Cláudio Marques e Marília Rughes) e atuou como protagonista no filme ‘A cidade do futuro’, de Claudio Marques e Marilia Rughes. Atualmente faz o curso livre de teatro da Ufob - Santa Maria da Vitoria.

Matheus Moura

Matheus Moura é compositor e Mc, atualmente faz um trabalho como ator protagonista na série ‘Nóis por nóis’, dirigida por Aly Muritiba e Jandir Santir.

Matheus Correa

Matheus Correa é musico há 4 anos e em 2016 fez seu primeiro trabalho como ator, a série ‘Nóis por nóis’

Ma Ry

MC, Compositora e Atriz.

Marília Hughes

Mestra em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Universidade Federal da Bahia; Diretora, produtora e roteirista de cinema; Dentre os seus trabalhos, destacam-se o longa-metragem ‘Depois da chuva’, de 2013, e os curtas ‘Desterro’, de 2012, ‘Sala de milagres’, de 2011, ‘Carreto’, de 2009, ‘Nego fugido’, de 2009, ‘O guarani’, de 2008.

Marcelo Munhoz | mediador

Marcelo Munhoz foi criador e coordenador do Olho Vivo, centro de formação e produção audiovisual (2003-2013), onde produziu ou codirigiu mais de duas dezenas de curtas, documentários e ficções. Foi criador do Ponto de Cultura Minha Vila Filmo Eu, cuja metodologia obteve reconhecimento nacional. Coordena o Núcleo de Audiovisual SESI/PR e o Ficção Viva, que vem trazendo ao Brasil alguns dos maiores nomes do cinema. Seu primeiro longa-metragem é o longa ‘A grande nuvem cinza’.

Maicon Douglas

Maicon Douglas de Lima tem 20 anos, nasceu e vive em Curitiba, é ator na série ‘Nóis por nóis’.

Jandir Santin

Jandir já trabalhou em uma dezena de filmes nas áreas de direção, roteiro e assistência de direção. Como diretor ela trabalhou em vídeo-clipes, campanhas publicitárias, e acaba de finalizar seu primeiro curta-metragem de ficção, intitulado ‘Paixão nacional’, que começou sua carreira nos festivais em 2015, sendo selecionado de lá pra cá, em mais de 20 festivais, incluindo o Festival Internacional Cine BH, Festival de Curtas de Brasília, Festival Internacional de Huesca, e ainda, o festival Voices of Latin America, onde recebeu o prêmio de melhor curta-metragem latinoamericano. Agora, Jandir está co-dirigindo seu próximo trabalho, uma série de TV chamada ‘Nóis por nóis’.

Igor Santos

Ator do Grupo Teatral Amadores da Arte; protagonista do longa ‘A cidade do futuro’; Ator nas peças ‘Você pinta como eu pinto?’, ‘A paixão de Cristo’ e ‘A cobiça de uma gata’, dirigidas por Adenilson de Souza e Gilmar Araujo.

Gilmar Araújo

Graduado em Letras - Português e suas Literaturas. Professor e ator. Dirige, atualmente, o Grupo de Teatro Amadores da Arte. Atuou no curta-metragem ‘Economia: a pessoa acima do dinheiro’, realizado pela revista Mundo Jovem, em Porto Alegre - RS.

Cláudio Marques

Cláudio Marques nasceu em Campinas/SP, em 1970, e mora em Salvador desde 1982. Cláudio foi editor e crítico do jornal Coisa de Cinema durante oito anos (1995-2003). Colaborou para os jornais Tribuna da Bahia e A Tarde. Idealizou e hoje é o principal coordenador do Espaço Itaú de Cinema – Glauber Rocha. Cláudio é o idealizador e coordenador do Panorama Internacional Coisa de Cinema. Cláudio dirigiu, roteirizou e montou diversos curtas premiados. ‘Depois da chuva’ foi o seu primeiro longa-metragem.