Curitiba_Lab

O Curitiba_Lab é um espaço para desenvolvimento de projetos cinematográficos que seleciona no total 6 projetos cujos produtores e/ou diretores passarão, ao longo de 5 dias, por acompanhamento e orientação de profissionais de cinema, que se debruçarão sobre os projetos a fim de apontar suas forças e fraquezas e orientar os produtores de modo a tornar seus projetos mais atraentes e viáveis. Ao final dos cinco dias de imersão, os envolvidos apresentarão seus projetos para uma banca julgadora, concorrendo ao prêmio de Melhor Projeto do Curitiba_Lab.

Projetos selecionados

Encontro no fim dos dias
Direção e Roteiro: Daiane Marcon, Daniel de Bem
Produção: Tokyo Filmes, Avante Filmes
Contato: daniel.debem@gmail.com

Após o assassinato de seu irmão Luiz pela polícia, Antônio, 26 anos, acaba reencontrando seu primo Jô, parceiro de Luiz em roubos de carros. Os três cresceram juntos, mas Antônio foi o único a não seguir o caminho do crime: tornaram-se pessoas completamente opostas. Junto de sua mãe, Cleonice, com quem mora, Antônio considera Jô o culpado por tudo o que levou a morte de seu irmão. Porém, através dos vídeos e fotos no celular do irmão, Antônio descobre mais sobre a vida de Jô e Luiz e, aos poucos, se vê seduzido pelos sentimentos de liberdade e constante aventura da vida ilegal e também pelo companheirismo e amizade entre Jô e Luiz. Jô, ainda emocionadamente abalado, busca preencher o vazio da morte de seu parceiro. Antônio, enquanto isso, busca reencontrar não somente a figura do irmão que perdera, mas a sensação de família unida e indestrutível que vê representada nas lembranças da infância junto de Jô e Luiz. Essa reaproximação, entretanto, acaba por desmoronar a vida calma e segura de Antônio.

Galatéa
Direção e Roteiro: Dov Zylberman
Produção: João Carvalho
Contato: dovdoz@gmail.com / joaochavescarvalho@gmail.com

*Projeto vencedor do Prêmio Olhar de Cinema/Curitiba_Lab no Guiões – Festival do Roteiro de Língua Portuguesa de 2015.

Augusto é um funcionário da Prefeitura de São Paulo responsável pela conservação de monumentos e estátuas instalados em espaços públicos. Peu, por outro lado, quer espalhar a sua marca pichando todas as estátuas que vê pela frente. Enquanto a ação do pichador mina a paz de Augusto, ele se apaixona por Elisa, uma artista de rua que se apresenta como estátua viva. O romance dá errado quando Augusto descobre que Elisa e Peu são amigos e as coisas pioram quando ele flagra Peu pichando uma estátua.

Goblin
Direção e Roteiro: Thiago Brito, Isabella Raposo
Produção: Lúdica Produções Audiovisuais
Contato: thiago.hatari@gmail.com / isabellamraposo@gmail.com

Nicholas e seus amigos tiveram uma grande ideia. Moradores de classe média do bairro de Copacabana, eles decidiram criar um grupo de personagens fictícios na internet, sob o codinome Goblin. Seus vídeos viralizam e o Goblin ganha a cidade do Rio de Janeiro. No entanto, a delegada Carmen começa a investigar um símbolo estranho e recorrente que aparece em inúmeras cenas de crimes na cidade.

Mar aberto
Direção e Roteiro: Amaranta César
Produção: Descontinuo Filmes
Contato: amaranta.cesar@gmail.com

‘Mar aberto’ se passa entre Brasil, Portugal, Benim e o Oceano Atlântico, e segue paralelamente os destinos de Fabiana e Joaquim, mãe e filho que se dispersam pelo mundo, depois que Joaquim embarca, de modo acidental, em um navio cargueiro que segue viagem da Bahia para a África. Para a mulher e a criança, os desafios dessa travessia serão irreversíveis.

Natan
Direção e Roteiro: Luciana Vieira, Victor Costa Lopes
Produção: Tardo Filmes
Contato: vieiracluciana@gmail.com / victorcostal@gmail.com

Natan é um garoto de 15 anos do interior do Ceará. Durante uma viagem a Fortaleza para lutar em um campeonato de jiu-jitsu acompanhado de seus colegas de time e de seu pai, o treinador do grupo, Natan apaixona-se por João Lucas, um competidor do time rival. Tesão e competitividade se confundem e Natan se vê no dilema entre corresponder às expectativas que seus colegas e pai nutrem sobre ele e dar vazão aos seus desejos de descobertas amorosas e sexuais.

Predião
Direção e Roteiro: Felipe Santo
Produção: Punta Colorada de Cinema
Contato: felipesantofdb@gmail.com

Pitangueiras, interior de São Paulo, 40 mil habitantes. Após Marcelo, um jovem gay de 19 anos, ser encontrado morto aos pés do Prédião – a mais alta construção da cidade, abandonada há décadas -, seus amigos rompem o luto e se encontram novamente, apesar do clima de tensão, que paira sobre eles. A visita de Yorrana e Felipe, seus amigos vindos de fora, coloca em xeque as relações estabelecidas entre o grupo e a cidade. Algo parece diferente. Eles resistem.

Consultores

Júri 

Parceiros

GUIÕES-logo-FULL